Menu Fechar

Goodwill – Sabe o seu significado?

Goodwill

Na perspectiva contabilística, o Goodwill corresponde a um item que se encontra no activo não corrente do Balanço (demonstração financeira obrigatória para todas as Entidades).  O goodwill encontra-se posicionado logo a seguir aos activos fixos tangíveis e às propriedades de investimento.

Nesta óptica contabilística, o Goodwill é utilizado para designar a parte do valor de mercado de uma empresa que não esteja directamente reflectida nos seus activos e nos seus passivos. Inclui-se neste tipo de valores, a marca, a imagem de mercado, a carteira de clientes, o know-how dos funcionários, as inovações tecnológicas que antecipam um forte crescimento do negócio, entre outros. 

O sentido original do termo surgiu com o intuito de justificar a razão pela qual as empresas ou negócios eram adquiridos e vendidos por valores superiores ao dos seus capitais próprios. Quando uma empresa adquire outra empresa por um valor superior ao dos seus capitais próprios, esta terá que reconhecer essa diferença (o goodwill) nos seus activos. Este valor pode, posteriormente, ser ajustado.

Fórmula de Cálculo do Goodwill:

Goodwill = Preço de Aquisição da Empresa – Valor do Capital Própria da Empresa Adquirida

O goodwill é um activo intangível que surge, na maioria das vezes, decorrente da aquisição de uma empresa por outra. Assim, o goodwill é, normalmente, a diferença entre o que uma empresa paga para adquirir outra e o valor patrimonial dessa mesma empresa (Capital Próprio). Dado o seu carácter de intangibilidade e de difícil quantificação, apenas se procede à sua contabilização no caso de uma aquisição.

Uma empresa pode apresentar um Capital Próprio reduzido, mas se possuir uma vasta carteira de clientes, inovações tecnológicas no seu processo produtivo que lhe permitam antever um grande crescimento, pessoal altamente qualificado e especializado, poderá apresentar um elevado valor no item goodwill. Trata-se assim do reflexo do valor intangível de uma empresa que se consubstancia, no valor da sua marca, na sua carteira de clientes, nos seus recursos humanos, na inovação tecnológica do sector produtivo, etc.

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *